Dieta dos pontos

A Dieta dos Pontos é uma dieta onde o paciente tem uma lista de alimentos e cada alimento tem uma pontuação, então é calculado através do peso, altura, sexo, idade e se o paciente pratica atividade física. Em consequência, calcula-se a quantidade de pontos que ele tem que ingerir durante um dia para perder peso, sendo que a lista de alimentos é composta, pelo próprio paciente, por alimentos da dieta.

É uma dieta que funciona para a perda de peso, mas nem sempre com saúde, devido ao fato de que os alimentos são selecionados pelo paciente, e este às vezes acaba escolhendo alimentos não muito indicados, pois a lista apresenta inclusive sanduíches, pizza e chocolate. É preciso que o paciente tenha uma orientação nutricional antes de iniciar a Dieta dos Pontos, para que ele componha esses pontos com alimentos saudáveis, e não apenas com alimentos industrializados, que geralmente apresentam baixos valores nutritivos. As escolhas de alimentos adequados farão com que a dieta funcione de maneira saudável. Uma educação nutricional às vezes se faz necessária para que a pessoa tenha um desempenho satisfatório.

Na Dieta dos Pontos os alimentos mais gordurosos e calóricos – como, por exemplo, uma feijoada – têm uma pontuação bem maior do que alimentos menos calóricos, como uma laranja. Ao consumir os alimentos, o paciente deve adicionar as pontuações equivalentes ao seu consumo durante um dia, sempre acompanhando o processo e, consequentemente, evitando exceder o limite diário dos pontos necessários. Esta dieta é indicada por nutricionistas em alguns casos, mas sempre com o acompanhamento de um profissional e o entendimento do que a pessoa deve ou não deve comer, com base numa reeducação alimentar.

Mas, afinal, o que você deve ou não deve comer? O que é que você pode fazer uso em maior quantidade ou em menor quantidade?

O grupo dos alimentos energéticos, que constitui a base da pirâmide alimentar , são os pães, massas, grãos integrais, farinha, arroz e batata. Esses alimentos devem ser consumidos, em média, através de 6 porções ao dia. Se você comer macarrão no almoço (ou seja, uma porção), opte por comer arroz integral no jantar (outra porção diária), pois de noite o nosso corpo não necessita de tanta energia como durante o dia. Ou seja, a média de consumo desses alimentos energéticos não deve ultrapassar o número de 6 porções, e de preferência sempre alimentos integrais.
A quantidade de cada porção depende da necessidade de cada paciente, mas, em média, duas fatias de pão são uma porção, três colheres de arroz são outra porção, 30 gramas de cereal integral são mais uma porção, e assim sucessivamente. Deve-se sempre buscar o consumo moderado, evitando as porções excessivas, mas sempre de acordo com as necessidades específicas de cada um. Se o paciente quer emagrecer, a quantidade de porções será menor para ele, por exemplo. A média de calorias diárias necessárias para uma pessoa de 1,60 que pratica atividades físicas moderadamente é de 2.000 calorias.

Acima dos alimentos energéticos encontra-se o grupo dos alimentos reguladores, que é dividido entre as frutas e as verduras/legumes. A média diária é de 3 porções de frutas e 3 porções de verduras e legumes. Os vegetais devem ser incluídos nas principais refeições, e as frutas nos intervalos das refeições, fazendo com que o paciente não fique muitas horas sem se alimentar.
Em terceiro plano, o grupo alimentar é o dos alimentos construtores, constituído pelas proteímnas, como os feijões, lentilhas, soja, oleaginosas, leites e seus derivados, carnes e peixes. Esses alimentos devem representar de 10 a 15% do cardápio diário. O brasileiro hoje em dia, em geral, tem a ideia errônea de que se ele se alimentar apenas de salada e carne grelhada, irá emagrecer. Deve-se tomar cuidado com esse pensamento, pois o nosso corpo também precisa de carboidrato para oxidar as gorduras, e é por isso que deve haver o equilíbrio entre todos os tipos de alimentos.

 

A Dieta dos Pontos, por esse motivo, deve ser composta de maneira equilibrada, com o acompanhamento de um nutricionista, sempre visando que o paciente não se esqueça de incluir todos os alimentos necessários para uma dieta rica e equilibrada. É necessário que se leve em consideração o que a pessoa busca atingir com a dieta. Se ela quer emagrecer, por exemplo, a quantia de carne branca (frango e peixe) poderá ser maior do que a de carne vermelha.

No topo da pirâmide alimentar encontra-se o grupo dos alimentos energéticos extras, formado pelos alimentos como o açúcar e os óleos. Esses alimentos devem ser consumidos em poucas quantidades e esporadicamente. Durante o processo de emagrecimento é importante que não se tenha a ingestão de doces, por exemplo, a não ser que seu consumo seja esporádico, como em uma festa, um evento, ou aos finais de semana. Os óleos vegetais e gorduras são importantes para o nosso organismo, desde que não sejam consumidos em grande quantidade.
A priorização dos alimentos naturais e orgânicos na Dieta dos Pontos é muito importante, apesar de ser um pouco trabalhoso. Adicionar alimentos saudáveis e até mesmo alguns nutrientes irão melhorar a sua saúde.

Dieta dos Pontos Funciona? Saiba como Funciona
5 (100%) 1 voto